sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Sem você


De verde, azul ou vermelho
Sempre te achei deslumbrante
Até me olhando no espelho
Percebi como tu és importante

Por sua causa eu me vestia
Por sua causa eu me perfumava
Por sua causa eu me divertia
Por sua causa eu me transformava

Com você todos querem estar
E eu lhe tive ao meu alcance
Sei que te deixei escapar
Mas eu mereço uma segunda chance

Para o que dizem, não ligo mais
Você traz sim a felicidade
Porque só você é capaz
De transformar minha realidade

Sem você me sinto impotente
Frágil, mendigo, indigente
Fraco, pequeno, dependente
Com todos sentindo pena de mim

Caindo em um buraco sem fim
Não sei mais o que devo fazer
Dinheiro, volta pra mim
Sem você não consigo viver



Diego Damasceno














Dedico esse texto a minha amiga Jocy Souza e a blogueira Camila Nansu, aniversariantes de hoje.

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Beleza de padrão



Ao levar um papo com uma garotinha de 11 anos eu descobri que conversar sobre novelas, horóscopo, cantores teens e bonecas exige de mim um amor muito grande para com a outra pessoa. Caso contrário, pode aparecer repentinamente neste indivíduo marcas de estrangulamento. Descobri que existe o narcisismo infantil. Descobri também que a menina é uma “Barbiemaníaca”. Repetia várias vezes que a boneca mais vendida do mundo, símbolo do consumismo infantil, é bonita, linda e maravilhosa. Perguntei quem mais ela achava bonito e como resposta me disse vários nomes como Jonas Brothers, Ken (aquele almofadinha que faz par romântico com a Barbie), Xuxa e Justin Biber (aí eu chorei). 

Procurei algo em comum entre os citados e achei duas coisas: São todos voltados para o público jovem e, entre eles, não tem um neguinho pra contar a história. Pra confirmar minhas suspeitas, perguntei a ela se eu, um negro magro do cabelo crespo e lábios grossos, sou bonito. A miseravelzinha disse que eu “até sou bonitinho”, mas melhoraria se eu malhasse e alisasse o cabelo. Ela terminou sua análise profissional de estética dizendo: “Bem que você poderia ter nascido com olhos castanhos claros”.
Porque eu preciso malhar, alisar o cabelo e ter olhos claros pra ser bonito? De onde vem a definição de “ser bonito”? Infelizmente, a esmagadora maioria da população brasileira parece pensar da mesma forma que uma garota de 11 anos e não para pra se fazer esses questionamentos. Vamos pensar um pouco:
Quantos negros do cabelo liso você conhece?
Quantos negros do olho claro você conhece?
Tenho certeza que, ao responder essas perguntas, suas respostas serão “nenhum” ou “poucos”, porque cabelo liso e olho claro são características do branco. Resumindo, a beleza foi padronizada no Brasil: O Branco é bonito e o preto é feio. Em terra de negro, o mais bonito é o europeu. Quando se trata de estética, quase tudo aqui tem forte influência europeia. Se eu vou para uma festa muito social eu tenho que ir, num calor miserável desse aqui da Bahia, parecendo um pinguim, cheio de terno e paletó, como se tivesse vivendo num clima frio. Com quem agente aprendeu isso? Com o Europeu. Esse sim precisa de muita roupa por viver no frio.

"Você é tão feio que parece que sua mãe te fez no Paint."

Porque o branco é bonito e o preto é feio? “Aaah, gosto é que nem [...], cada um tem o seu”. Cada um tem o seu [...], mas eles são todos parecidos. A mesma coisa é o gosto pela aparência das pessoas. Assim como o [...] que é quase sempre redondo com um orifício no meio, as pessoas bonitas tem que ser quase sempre claras com o cabelo liso. 
Graças aos meios de comunicação, quase todos comandados por brancos, essa padronização foi absorvida pelo povo ao assistir na TV gente branca feliz e sorrindo, ao assistir apresentadores brancos, top models brancos, paquitas loiras, protagonistas dos olhos claros em novelas e seriados voltados para o público jovem, outdoors com modelos do cabelo liso e muitas outras coisas que apenas baixam a autoestima do índio, do negro e de muitas outras raças que não possuem essas características. 
Tão de brincadeira... Só pode!
Por isso tem muita negra por aí achando que pra estar arrumada tem que dá escova no cabelo. Depois eu choro de rir com a chuva, que faz esse povo correr com um saco na cabeça pra não deixar molhar o cabelo de verão. Mas a quantidade de água que cai da chuva é menor que a de alisante vendida nas lojas. Evite tocar no cabelo de alguns jovens negros se não quiser sair com a mão toda melecada.

"Dizem que todo mundo tem um lado bonito... portanto eu sou um círculo."

Êta Zorra!
Pra toda a regra existe, ao menos, uma exceção. Existem raros negros considerados bonitos. Não tão bonitos quanto os brancos, mas dão pro gasto. Por isso, quando aparece uma escura considerada bonita, escutam-se quase sempre comentários do tipo: “Olha que negra linda!”. Porque enfatizar que é negra ao elogiar? “Sou eu negro lindo”? Não, Léo Santana. Sou eu lindo independente de ser negro ou branco. Sou eu lindo pelos meus méritos resultantes de meus esforços e não por ter tido a “sorte” de ter nascido com uma aparência de características mais aceitáveis graças a conceitos inaceitáveis. Sou eu lindo pelas atitudes corretas que eu tomo e pela capacidade de aprender com as atitudes erradas. Sou eu lindo pela minha tolerância, generosidade, humildade e honestidade.

"Se não fosse os ônibus lotados, os feios não teriam vida sexual."

Pior é ver fulano, no Facebook, após uma decepção amorosa, falando de mil e uma formas diferentes que mulher nenhuma presta. O mesmo faz a mulher, ambos sentindo o corno coçando na testa. Para elas o namorado ideal tem que ser bonitinho, fortinho e estiloso, pois são méritos que acarretarão num relacionamento de qualidade, que nada mais é do que olhar para o companheiro e admirar a sua beleza. Ser bonitinho é difícil, pois tem que se esforçar pra pedir muito por isso antes de nascer. Ser fortinho é difícil, pois academia é só para as pessoas de alma pura e espirito elevado.  E ser estiloso é mais difícil ainda já que vestir-se bem depende unicamente da habilidade de um homem em persuadir o dono de uma loja de roupa para conseguir algumas gratuitamente e não da alta quantia em dinheiro que o faz comprar roupas melhores.
Sabe de quem é a culpa por você ter arrumado um namorado idiota? É toda sua, por ter o escolhido utilizando critérios idiotas. Homem ou mulher que presta existe em grande escala, mas você nunca o(a) encontrará enquanto continuar escolhendo por razões fúteis. A “beleza” de seu namorado(a) não vai fazer desse relacionamento um sucesso. Porque você só quer namorar alguém que seja considerado bonito? Ou melhor, porque namorar só alguém que atenda esses padrões estéticos sem fundamentos? É só porque você quer colocar foto de alguém bonito no seu álbum do facebook? É só para exibir aos amigos e dizer a eles que você é o cara? Então o amor não passa de uma autopromoção? Antigamente as pessoas namoravam porque gostavam de alguém. Hoje elas namoram porque gostam apenas de si mesmas.

"Você é feio assim mesmo ou seu omnitrix (relógio do Ben 10) travou no monstro?"

Ao tornar-se muito importante, a beleza evoluiu para uma dos maiores e mais comuns exemplos de futilidade, trazendo consigo o preconceito, a superficialidade, a discórdia, a insatisfação, a busca incessante pelo desnecessário, a necessidade do homem de rotular o próximo e uma grande contribuição para a infelicidade da humanidade.
Apesar de não usar alisante e não namorar apenas com mulheres do cabelo liso, eu também tenho um pouco desse conceito idiota e estou tentando tirá-lo de dentro de mim. Não fiz esse texto com a intenção de promover a raça negra, e sim a igualdade entre os seres humanos. Que sejamos todos bonitos, todos feios, todos bonitos e feios ou que não sejamos nem bonitos e nem feios, mas que sempre sejamos felizes e iguais.

Google+ Followers

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...